Páginas

Você é meu convidado

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Atenção para o golpe da ligação a cobrar

Caros Leitores:

Acabei de receber uma ligação a cobrar um tanto estranha, como tenho o identificador de chamadas da de cara já vi que o numero não era conhecido

Recebi a Ligação do telefone (085) 9131 0422 de um tal de Hamilton Melo Bezerra que se identificou como diretor da telefonica 015.

Como não conheço ninguém com esse nome e a ligação era a cobrar, e mesmo com a insistencia do meliante que a ligação era "gratuita" delisguei na cara.

Como sou curioso, "GOOGLEI" "ligação a cobrar de amilton" e olha no que deu:





  1. Cotidiano - Jornal O Mossoroense



    Maria das Dores contou que nesta semana recebeu uma ligação a cobrar de um homem que se dizia chamar Hamilton Melo Bezerra e se apresentou como gerente ...
    www2.uol.com.br/omossoroense/.../cotidiano.htm - Em cache - Similares -




  2. Reclame Aqui > Oi (Telefonia/Velox/Etc) - CUIDADO GOLPE EM NOME DA ...



    20 Fev 2009 ... Recebi uma ligação na parte da manha, a cobrar, pensei que fosse um de ... O tal Hamilton disse que minha linha havia sido sorteada que eu ...
    www.reclameaqui.com.br/.../cuidado-golpe-em-nome-da-operadora-031-oi/ - 








Bem: depois de saber disso, logicamente liguei pro 190 e me informaram que este tipo de crime era com a policia civil, liguei no 197 e me informara que deveria ir fazer um Boletim de Ocorrencia na Delegacia.


Como todos sabemos, um BO demora pelo menos umas 4 horas e tal, e como não fui lesado, a não ser por alguns reais de ligação a cobrar, resolvi Bloggar mesmo, assim passamos a informações a todos.

Bolsas de Iniciação Científica

O Café Quântico é um projeto social de divulgação e está concedendo 3 bolsas de Iniciação Científica no valor de R$300 mensais. A duração da bolsa é de 12 meses. Mais informações, acesse:

http://www.cafequantico.com.br/bolsas/

Líder religioso egípcio diz que proibirá véu completo


A maior autoridade islâmica do Egito disse que vai baixar um decreto religioso (fatwa) contra a tendência crescente, entre as mulheres do país, de usar o véu que cobre todo o rosto - conhecido como niqab.

O xeque Mohamed Tantawi, reitor da universidade de al-Azhar, disse que cobrir o rosto todo com o veu é um costume que não tem nada a ver com a fé islâmica.

Embora a maioria das mulheres no Egito use apenas o véu islâmico que cobre a cabeça, um número crescente vem adotando o véu completo.

Arábia Saudita

A prática é associada a tendências islâmicas mais radicais, influenciadas pelo tipo de islamismo praticado na vizinha Arábia Saudita.

A questão envolvendo o uso do véu teria surgido quando Tantawi visitava uma escola de meninas no Cairo, no fim de semana.

Ele teria pedido a uma das meninas que tirasse o véu que cobria seu rosto.

Segundo o jornal egípcio al-Masri al-Yom, o xeque teria expressado surpresa diante dos trajes da menina, dizendo a ela que o uso do véu era apenas uma tradição, sem qualquer conexão com a religião ou o Alcorão (livro sagrado dos muçulmanos).

da BBC Brasil

EXEMPLOS DE QUESTÕES DO ENEM 2009 - RESOLVIDAS

Matemática e suas tecnologias

1 - Com o objetivo de trabalhar com seus alunos o conceito de volume de sólidos, um professor fez o seguinte experimento: pegou uma caixa de polietileno, na forma de um cubo com 1 metro de lado, e colocou nela 600 litros de água. Em seguida, colocou, dentro da caixa com água, um sólido que ficou completamente submerso.

Considerando que, ao colocar o sólido dentro da caixa, a altura do nível da água passou a ser 80 cm, qual era o volume do sólido?

(A) 0,2 m3
(B) 0,48 m3
(C) 4,8 m3
(D) 20 m3
(E) 48 m3

Resolução:

A caixa completamente cheia teria o volume de 1m3 ou 1000 litros de água, mas ele colocou nela 600 litros de água que ocupou a altura de 0,6m ou 60cm.

Ao colocar o sólido dentro da caixa, o nível da água passou a ser 80cm, ou seja, o nível subiu 20cm, o equivalente a 0,2m. Como o sólido ficou totalmente submerso, ele deslocou um volume de água igual ao volume dele, portanto o volume deslocado foi de 0,2m x 1m x 1m = 0,2m3 (metros cúbicos).

Resposta: letra A.

3 - A evolução da luz: as lâmpadas LED já substituem com grandes vantagens a velha invenção de Thomas Edison. A tecnologia do LED é bem diferente das lâmpadas incandescentes e das fluorescentes. A lâmpada LED é fabricada com material semicondutor semelhante ao usado nos chips de computador. Quando percorrido por uma corrente elétrica, ele emite luz. O resultado é uma peça muito menor, que consome menos energia e tem uma durabilidade maior. Enquanto uma lâmpada comum tem vida útil de 1.000 horas e uma fluorescente de 10.000 horas, a LED rende entre 20.000 e 100.000 horas de uso ininterrupto.

Há um problema, contudo: a lâmpada LED ainda custa mais caro, apesar de seu preço cair pela metade a cada dois anos. Essa tecnologia não está se tornando apenas mais barata. Está também mais eficiente, iluminando mais com a mesma quantidade de energia.

Uma lâmpada incandescente converte em luz apenas 5% da energia elétrica que consome. As lâmpadas LED convertem até 40%. Essa diminuição no desperdício de energia traz benefícios evidentes ao meio ambiente.

A evolução da luz. Veja, 19 dez. 2007. Disponível em: http://veja.abril.com.br/191207/p_118.shtml Acesso em: 18 out. 2008.

Considerando que a lâmpada LED rende 100 mil horas, a escala de tempo que melhor reflete a
duração dessa lâmpada é o:

(A) dia.
(B) ano.
(C) decênio.
(D) século.
(E) milênio.

Resolução:

Basta efetuar algumas contas para achar a quantidade de dias, anos, decênios, até que o resultado se aproxime com a resposta, veja: 100 mil horas = 100.000 / 24 = 4.166,67 dias / 365 = 11,42 anos que equivale a pouco mais de 1 decênio.

Resposta: letra C

Última atualização em Ter, 04 de Agosto de 2009 15:52  

Apostila - Leis de Newton

Leis de Newton Cool

Relatório de Física I elaborado pela equipe de alunos da Universidade do Amazonas, cujos objetivos são:
  • Determinar as funções espaço x tempo e velocidade x tempo;
  • Obter a aceleração da gravidade;
Faça o download da apostila: LeisNewton.pdf

Última atualização em Sáb, 01 de Agosto de 2009 19:08
 

Apostila - Conservação de Energia

Conservação de Energia

Relatório de Física I elaborado pela equipe de alunos da Universidade do Amazonas, cujos objetivos são:
  • Determinar as funções espaço x tempo e velocidade x tempo;
  • Obter o momento de inércia ao redor do eixo de rotação;
  • Verificar a conservação de energia mecânica do sistema.
Faça o download da apostila: ConservaçãoEnergia.pdf


Homem adquiriu parasita da malária de chipanzés

É o que revelam dados de recentes pesquisas sobre variedade surpreendente do Plasmodium

De onde veio a malária humana: de frangos ou chimpanzés? Essa questão tem sido debatida nos últimos 50 anos: qual a origem do parasita da malária humana mais comum, o Plasmodium falciparum, que provoca a morte de no mínimo 1 milhão de pessoas anualmente. Uma nova pesquisa aponta para nossos parentes, os primatas.

“Esse é um dos extraordinários desafios médicos da humanidade”, observa Nathan Wolfe, diretor do Programa Global de Previsão Viral, com sede em São Francisco, Califórnia, e coautor do trabalho publicado recentemente on-line no Proceedings of the National Academy of Sciences. “Estamos diante talvez da mais devastadora doença da humanidade, mas sua origem permanece desconhecida.”

Alguns investigadores teorizam que o P. falciparum seja uma variante de um parasita encontrado em frangos, mas a maioria argumenta que as malárias de humanos e símios coevoluíram de um ancestral comum há vários milhões de anos.

Isso tudo aconteceu antes de Wolfe e sua equipe descobrirem a variedade surpreendente do parasita Plasmodium que infecta chimpanzés, chamado P. reichenowi, cuja variedade genética é muito maior que da espécie que ataca humanos. Como os parasitas mais antigos tiveram mais tempo para desenvolver variantes, a forma humana, menos diversificada, parece ser bem mais jovem que a dos chimpanzés.

Essa precocidade relativa foi confirmada quando pesquisadores dissecaram os detalhes do genoma da espécie. “O parasita da malária humana veio dos chimpanzés”, destaca Stephen Rich, coautor do trabalho e geneticista da University of Massachusetts, em Amherst. De fato, os dados genéticos sugerem que o P. falciparum é uma forma mutante do P. reichenowi. “Quando observamos os padrões de ramificação, verificamos que humanos e chimpanzés tinham um ancestral comum há cerca de 5 a 7 milhões de anos. No entanto, não havia um exemplo em que a malária humana estivesse mais fortemente relacionada com pássaros ou frangos que com a malária dos chimpanzés”.

A teoria decorrente supõe que um mosquito picou um chimpanzé e depois um humano, introduzindo o parasita na nossa linhagem há cerca de 10 mil anos, explica Rich.

Pesquisas recentes indicam que a malária é menos virulenta em seus hospedeiros chimpanzés. Essa observação também é consistente com a descoberta de que a versão simiana já existe há mais tempo. “Parasitas geralmente evoluem no sentido de obter uma associação vantajosa com seus hospedeiros”, observa Rich. “Tendo tempo suficiente, parasitas e hospedeiros equilibram suas armas de forma a viverem em paz”. Os chimpanzés e sua forma de malária tiveram, portanto, bastante tempo para chegar a bom termo.

Essa conclusão “é compatível com o que se sabe sobre a evolução do vetor da malária”, avalia Greg Lanzaro, diretor do Laboratório de Genética de Vetores da University of California, em Davis. “Mas é preciso juntar todas as peças para se entender o que acontece: a genética humana, a biologia dos mosquitos vetores que fazem a transmissão, e, certamente, o próprio parasita”. A descoberta é mais uma peça do quebra-cabeças.

Rich e seus colegas continuam coletando dados e sequenciando genomas na esperança de entender melhor como a malária afeta os chimpanzés e determinar quando ela se transferiu para os humanos. Enquanto isso, sua descoberta já tem repercussão na pesquisa médica. Sarah Tishkoff, geneticista da Escola de Medicina da University of Pennsylvania, acredita que as diferenças entre a suscetibilidade de humanos e primatas “pode fornecer pistas importantes para o desenvolvimento de vacinas e tratamentos mais eficazes”. Wolfe concorda e acrescenta que a descoberta “não se restringe apenas aos registros históricos”.

por Lynne Peeples

http://www2.uol.com.br/sciam/

Explodindo a Lua


Isso mesmo. Explodimos a Lua. Bom... não ela inteira. O LCROSS (Satélite de Sensoriamento e Observação de Crateras Lunares) e o Lunar Reconnaissance Orbiter, lançados em junho, completaram sua missão com um estouro. A NASA divulgou imagens de duas explosões intencionais realizadas no polo sul do satélite. O Lunar Reconnaissance Orbiter registrou imagens e mapas de temperatura dos dois locais de explosão, enquanto cientistas na Terra analisavam os dados.

A NASA anunciou que o Lunar Reconnaissance Orbiter realizou um voo sobre o ponto de explosão do satélite LCROSS e seu foguete correspondente Centaur, 90 segundos após o impacto, a uma distância de 80 quilômetros. A missão tinha o objetivo de esclarecer dúvidas a respeito da possibilidade de existência de gelo abaixo das sombrias crateras lunares. As explosões controladas deveriam expelir fragmentos de solo lunar no espaço de modo a serem refletidos pela luz do Sol, porque assim as imagens captadas por telescópio conteriam detalhes significativos.

Foto: Lunar Reconnaissance Orbiter


O instrumento Diviner no LRO realizou oito órbitas com o objetivo de captar a maior quantidade possível de dados antes de se chocar com a superfície lunar. O mapa termal feito na cratera Cabeus precisará de mais análises e imagens de possíveis escombros espalhados durante a explosão. Até o momento, nenhuma evidência de água foi detectada nessa explosão, e as imagens ainda serão analisadas.

Os cientistas da NASA dizem que é possível que, com o tempo, a análise dos escombros das explosões evidencie a existência de água na Lua.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Peço Perdão a Allah




Asstagfiru Allah, por Mishary Alafasy, traducido ao português por Sheikh Ahmad Mazloum.

Anas (R.A.A.) contou que o Mensageiro de Deus (S.A.A.S) dizia: Deus, louvado seja, disse: Ó filho de Adão, sempre que Me suplicares e Me implorares, Eu perdoarei o que tiveres feito, sem que nada Me importe! Ó filho de Adão, ainda que tuas faltas alcancem os limites do céu, se Me pedires perdão, perdoar-te-Ei!Ó filho de Adão, ainda que vieres a Mim, depois de cometeres tantas faltas, que dariam para encher a terra, e se te encontrares comigo sem teres associado nada nem ninguém a MIm, Eu te concederei um perdão que cobre a terra. ( Tirmizi )

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Bem-vindo ao Planeta Lava

Article1b
Astrônomos e cientistas há muito tempo procuram uma segunda Terra. A chance de encontrar um planeta similar é o santo graal do universo para qualquer pessoa com um interesse especial no desconhecido.

Em fevereiro de 2009, divulgou-se sem muito alarde que um corpo orbital na constelação de Monoceros poderia abrigar o planeta mais próximo e similar à Terra já encontrado. Sua importância reside no fato de que os mais de 300 planetas descobertos até então eram massas de gases. Este planeta está a apenas 400 anos-luz de distância e sua solidez é única.

O nome do planeta?  CoRoT-7b.  Foi batizado em homenagem ao satélite francês CoRoT (Convecção, Rotação e Trânsitos planetários), responsável pela descoberta. O achado é tão emocionante que alguns foram mais longe e o apelidaram de Planeta Lava!

Segundo o Observatório Thuringer, na Alemanha, o planeta orbita a uma distância curta de seu sol, 2,4 milhões de quilômetros. Com temperaturas superiores a 3.600 graus Fahrenheit, o planeta é uma grande massa derretida. Seu diâmetro é apenas diâmetro 1,8 vezes maior do que o da Terra.

Vamos ficar de olho nele... e você também deveria. 
 
blog: Discovery Channel Brasil

Ovo ou galinha: quem veio antes?

Biologicamente, a resposta para o antigo dilema é óbvia



Na ocasião do lançamento do DVD O galinho Chicken Little, em março de 2006, a Disney reuniu um comitê para pôr um ponto final no longo enigma: quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?

O veredicto foi unânime. "A primeira galinha deve ter se diferenciado de seus pais por alguma modificação genética, que fez com que fosse a primeira a atender os critérios para ser chamada de galinha autêntica", observa John Brookfield, biólogo evolucionista da University of Nottingham, na Inglaterra. "Dessa forma, o organismo vivo dentro da casca de ovo teria tido o mesmo DNA da galinha em que se desenvolveria, e assim seria um membro dessa espécie de aves." O que reconhecemos como sendo o DNA de uma galinha existe primeiro dentro de um ovo, de onde se conclui que o ovo nasceu primeiro. No entanto, David Papineau, filósofo da ciência e Charles Bourns, granjeiro, concordam, a princípio, com a análise de Brookfield – mas a pergunta, na melhor das hipóteses, está incompleta e, na pior delas, mal colocada.

Astrônomos descobrem o maior anel planetário do Sistema Solar

Um anel difuso circunda Saturno a uma distância de 12,5 milhões de quilômetros
por John Matson
Nasa/JPL-Caltech/Keck



Anel distante: Concepção artística do fraco anel recém observado em torno de Saturno. O anel torna irrisória a dimensão dos anéis familiares próximos ao planeta.
Uma busca especulativa por um cinturão de destroços criado por uma das luas externas de Saturno resultou no que parece ser o maior anel planetário conhecido do Sistema Solar.

O anel recém-descoberto, associado à distante lua Phoebe, encontra-se a aproximadamente 12,5 milhões de quilômetros de Saturno ─ se não mais ─, de acordo com o artigo publicado na Nature, na semana passada, anunciando a descoberta. Para se ter uma ideia, a borda externa do maior anel mais próximo de Saturno, conhecido como anel E, está a menos de meio milhão de quilômetros do planeta. O gigante gasoso tem sete anéis principais ─ denominados de A a G, na ordem em que foram descobertos ─ formados por gelo, rochas e poeira, com espaços e divisões ainda maiores entre eles.

Usando um instrumento infravermelho a bordo do Telescópio Espacial Spitzer da Nasa, a cientista planetária Anne Verbiscer da University of Virginia, juntamente como o astrônomo Michael Skrutskie, da mesma universidade e Douglas Hamilton, também astrônomo, mas da University of Maryland College Park, esquadrinharam parte da região entre Saturno e Phoebe, que orbita o planeta a uma distância de aproximadamente 13 milhões de quilômetros. Nos dados coletados pelo Spitzer, os pesquisadores detectaram emissão térmica de um anel extremamente grande de destroços, que se estende por quase 5 milhões de quilômetros. (Apesar da cobertura incompleta, Verbiscer e colaboradores também analisaram observações feitas por outros pesquisadores para ampliar o escopo do levantamento, mas o anel pode se estender muito além dos limites das imagens que dispõem).

“Ele é enorme”, comenta Verbiscer. Se fosse suficientemente brilhante para ser visto da Terra, ele tornaria desprezível o tamanho de outros objetos no céu noturno. “Daria para colocar uma lua cheia de cada lado de Saturno”, comenta.

Dois especialistas em sistemas planetários com anéis que participaram na semana passada da Reunião Anual da Sociedade Astronômica Americana ─seção sobre Ciências Planetárias ─ em Fajardo, Porto Rico, onde Verbiscer e colegas apresentaram sua descoberta, consideram a explanação convincente. “Ver para crer, e não resta nenhuma dúvida, quando se observam as fotos de que esse anel gorducho esteja realmente lá”, observa Mark Showalter, astrônomo planetário do Instituto SETI, em Mountain View, California. “A detecção foi perfeita.”

Linda Spilker, especialista em anéis planetários do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena, Califórnia, acredita que a combinação entre os dispositivos de imageamento do Spitzer e a modelagem numérica de como seria o anel é convincente. Como cientista vice-líder do projeto para a exploração de Saturno com a sonda Cassini, Spilker avalia que não é de surpreender que a Cassini, equipada com um analisador de poeira cósmica, não tenha detectado o anel difuso durante seu encontro com Phoebe, em 2004. Ela considera que o anel “não é um conjunto completo de partículas”, destacando que seria fácil atravessá-lo, sem que fosse notado.

No artigo, os autores especulam que impactos meteóricos na superfície escura e fortemente craterada de Phoebe liberaram as partículas que formam o anel. Essa afirmativa pode explicar a superfície com duas tonalidades de Iapetus, uma lua de Saturno interna à órbita de Phoebe. Partículas menores do anel criado por Phoebe podem ter migrado para dentro, onde finalmente foram varridas por Iapetus, depositando em sua face dianteira, uma película de material escuro ─ uma previsão criticada durante décadas, mas que concorda com as observações. A presença do anel de destroços significa que esse processo está em andamento.

Anéis fracos como esse criado por Phoebe são relativamente comuns, embora seja difícil detectá-los, porque a maioria dos pequenos satélites está sujeita a impactos que podem levantar poeira e destroços. Anéis semelhantes formados por poeira de luas foram encontrados em outros locais do Sistema Solar. “Este é um fenômeno bastante comum, só que nunca tinha sido observado na escala do anel de Phoebe”, avalia Showalter. Spilker observa que “sempre que um a lua é encontrada e houver bombardeio de micrometeoritos, haverá uma fonte de poeira, e é bem possível que a poeira possa se expandir e formar um anel”.

O grupo de Verbiscer teve muita sorte de poder fazer a pesquisa perto de Phoebe: em maio, a espaçonave Spitzer teve uma perda do liquido de refrigeração criogênica, exatamente três meses depois de a investigação de Phoebe ter sido feita. Na nova condição “mais aquecida” do telescópio (mas ainda bem abaixo de -200º C), vários instrumentos do Spitzer não funcionaram com a sensibilidade total, incluindo o escâner infravermelho de 24 mícrons do Fotômetro de Imageamento Multibanda que foi usado para detectar o novo anel. Esse desvio da missão significa que as observações posteriores terão de ser conduzidas com outros instrumentos ou espaçonaves, provavelmente não tão bem preparadas para a tarefa.

O pedido de tempo para observação de anéis eventuais com o Spitzer foi submetido há vários anos, mas não teve prioridade alta, observa Verbiscer ─ talvez porque fosse “completamente especulativo” sair por aí procurando um provável anel.

“Só é possível observar com o Spitzer de seis meses em seis meses, e em cada período há uma janela de observação de cerca de 20 dias”, revela a especialista em planetas. “Nós quase perdemos o trem durante aquelas janelas de observação, e isso realmente aconteceu na última janela para Saturno, enquanto o telescópio ainda dispunha de refrigeração criogênica”.

Da Scientific American Brasil

O discreto charme das particulas elementares - o filme.

Pessoal, é com grande entusiasmo que venho divulgar o filme de divulgação científica que será exibido pela tv cultura no próximo dia 10/11 às 19:30. Para quem não quer esperar até lá, segue uma pontinha do filme no link abaixo:

O discreto charme das Particulas...
http://br.youtube.com/watch?v=cU0LrCE3SsM



Ah! E até eu tenho uma pontinha de participação neste projeto. Colaborei fazendo uma versão/adaptação do rap do LHC que é interpretado pelo rapper Sapiência. Segue o link:

Lhc Rap Brasil
http://br.youtube.com/watch?v=NDfC7QHzMzQ




Blog do IFT - Evandro

Medindo a massa de um gigante: o buraco negro da galáxia NGC 4649

Os astrônomos sabem que na região central das galáxias gigantes existe um morador pesado e faminto. Nessas regiões centrais invariavelmente detectamos a presença de um buraco negro. Não um buraco negro qualquer mas, quase sempre, algo gigantesco. Esse imenso sorvedouro de matéria, cresce, cresce e continua a crescer com o passar dos anos. Qual o maior buraco negro existente hoje no Universo?

Para respondermos a uma pergunta como essa seria preciso medir a massa do buraco negro. E, como o leitor pode imaginar, isso não é tarefa fácil.

Procurando resposta à pergunta feita acima, os astrônomos decidiram investigar o buraco negro central de uma grande galáxia elíptica, a NGC 4649.


A galáxia elíptica NGC 4649

Se fizessemos uma lista das grandes galáxias existentes no Universo, certamente a galáxia NGC 4649, também conhecida como M60, disputaria os primeiros lugares.

Localizada na constelação Virgo, a uma distancia de 51 milhões de anos-luz de nós, com coordenadas ascensão reta 12h 43m 39,60s e declinação +11o 33´ 09,30", a galáxia NGC 4649 é a terceira galáxia mais brilhante do aglomerado de galáxias Virgo. Ela mostra um diametro linear de cerca de 120000 anos-luz.

Bem próximo à galáxia NGC 4649 (ou M60) está localizada a galáxia NGC 4647, também conhecida como M59. A imagem de ambas as galáxias mostra que seus discos ópticos se superpõem. Embora isso possa sugerir que elas estejam interagindo gravitacionalmente não existe qualquer evidencia de que isso seja verdade. Os astrônomos concluiram que elas estão a diferentes distancias e que sua interação gravitacional deve ser bastante fraca.

Curiosamente, a galáxia NGC 4649 mostra um grande número de aglomerados globulares bem fracos à sua volta. Hoje calcula-se que existam cerca de 5100 aglomerados globulares (formados por estrelas velhas) no halo dessa galáxia. Como comparação, lembre-se que existem 158 aglomerados globulares conhecidos no halo da nossa Galáxia com talvez mais 10 a 20 esperando serem descobertos. Algumas galáxias elípticas gigantes mostram a presença de um número ainda maior de aglomerados globulares como, por exemplo M87 que, possivelmente, possui 100000 aglomerados desse tipo.














A descoberta do Hubble Space Telescope

Ao investigar a região central de NGC 4649, o Hubble Space Telescope verificou a existencia de um enorme buraco negro nessa região. Calculou-se que esse buraco negro tinha uma massa correspondente a cerca de 2 bilhões de massas solares.

A imagem abaixo mostra o campo onde está a galáxia NGC 4649,, visto na região espectral do visível.



Temos, a seguir, uma imagem mais detalhada da galáxia NGC 4649, também na região do visível.




Estudando o buraco negro da galáxia NGC 4649

Apesar da galáxia elíptica NGC 4649 possuir um dos maiores buracos negros conhecidos no Universo local, a análise das imagens obtidas pelo Hubble Space Telescope não revelavam sinais de sua existência, como por exemplo, a presença de um ponto brilhante central. Isso fez com que os astrônomos decidissem estudar essa galáxia usando os detectores de raios X que estão a bordo do Chandra X-ray Observatory.

Novamente mostramos o campo onde está a galáxia NGC 4649 só que agora visto em raios X.



A seguir, detalhes da galáxia NGC 4649 também em raios X.



Juntando a imagem obtida em raios X com a imagem óptica, temos uma melhor descrição da galáxia NGC 4649, aqui mostrada imersa em seu campo. A parte assinala marca a região estudada pelos dois telescópios orbitais o Hubble Space Telescope (na região óptica) e o Chandra X-ray Obsevatory (na região de raios X).



Aplicando novas técnicas observacionais na região espectral de raios X, os astrônomos conseguiram medir a massa do buraco negro que está no centro da galáxia NGC 4649. Ele tem uma massa equivalente a 3,4 bilhões de estrelas com a mesma massa que o nosso Sol!

Essa nova técnica estuda a influencia gravitacional que o buraco negro exerce sobre o gás quente que está próximo ao centro da galáxia. À medida que esse gás se desloca na direção do buraco negro ele fica cada vez mais comprimido e aquecido. Isso provoca um grande aumento na temperatura do gás que está localizado no centro da aláxia. Mas, os astrônomos sabem qu quanto mais massa tem um buraco negro maior é o pico de temperatura detecatdo nessa região central. Medindo o pico de temperatura em raios X os astrônomos ficam conhecendo a massa do buraco negro.

O valor da massa do buraco negro central existente na galáxia NGC 4649 obtido com a técnica de raios X é consistente com os resultados obtidos por métodos mais tradicionais em que os movimento das estrelas próximos ao buraco negro são observados na região visível do espectro eletromagnético.

domingo, 4 de outubro de 2009

Dia 12 de outubro, Dia das Crianças...

Será que elas tem mesmo o que comemorar???


“Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.”
(Art. 5º. Estatuto da Criança e do Adolescente)

Prostituição Infantil e Pedofilia
O Unicef denuncia que, a cada ano, pelo menos um milhão de menores (três mil ao dia) são introduzido no mercado do sexo, mas alguns pesquisadores acreditam que o número deva ser quatro vezes maior porque ainda não existem dados estatísticos totalmente confiáveis.

Segundo estimativas da ONU, no ano passado um total de 150 milhões de meninas e 73 milhões de meninos foram abusados sexualmente no mundo todo.

Estatísticas da Organização Mundial do Trabalho (OIT) mostram que 1,8 milhão de crianças e adolescentes são abusados sexualmente no mundo, a cada ano. No Brasil, as cifras mostram que 100 mil meninos e meninas são vítimas de exploração sexual.


Fome e desnutrição

Cerca de 6 milhões de crianças morrem a cada ano pela fraqueza de seu sistema imunológico causada por fome e desnutrição, o que as torna incapazes de superar doenças infecciosas curáveis, como diarréia, sarampo e malária.

63% das crianças dos meios rurais em Moçambique vivem em pobreza extrema; e 34% das famílias não conseguem garantir uma alimentação estável e enfrentam fome permanente.
Todos os dias, mais de 850 milhões de pessoas vão se deitar com fome; dentre elas, 300 milhões são crianças.A cada cinco segundos, uma delas morre de fome.


Trabalho Infantil

A UNICEF estima que existem 158 milhões de crianças menores de 15 anos vítimas de trabalho infantil em todo o mundo e que mais de 100 milhões, quase 70 por cento da população laboral infantil, trabalham na agricultura em áreas rurais onde o acesso à escola e ao material educativo é muito limitado.

No Brasil, Cerca de 4 milhões de crianças trabalham no meio rural e somente 29% delas recebem remuneração. Entre as crianças de 5 a 9 anos, somente 7% recebem remuneração e um grande número não têm acesso à educação.

Na Ásia, a situação ainda é mais grave, pois 61% das crianças trabalham. Na África, em cada cinco crianças, duas trabalham.


Analfabetismo
Em pleno século 21, o Brasil ainda tem 680 mil crianças que não freqüentam a escola.

NO BRASIL , 11,5% das crianças de oito e nove anos são analfabetas, segundo o IBGE. O percentual supera a média nacional entre adultos, de 10%. No Nordeste, o índice infantil vai a 23%. No Maranhão atinge o pico nacional: 38%.

Pelo menos 100 milhões de crianças em idade escolar esperam por uma vaga em colégios nos países pobres, regiões em que o fornecimento de educação básica está entre as "Metas do Milênio" estabelecidas pela ONU.

"Temos mais de 100 milhões de crianças sem escola no mundo, dos quais 58 milhões são meninas.
Vítimas da violência e guerra

Estima-se que, só no Brasil, 18 mil crianças são vítimas de espancamento e uma a cada minuto de algum tipo de violência: emocional, física ou sexual .

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam para uma taxa de 53 mil crianças mortas todos os anos por homicídio no mundo.

Segundo dados da Unicef, entre 133 milhões e 275 milhões de crianças são vítimas ou testemunhas de violência em casa. Em muitas sociedades, a violência contra a criança é tolerada, já que ganha uma conotação de "medida de disciplina".

O medo de denunciar os autores da violência é o que faz a violência contra crianças continuar escondida. Nas escolas, orfanatos e, principalmente, centros de detenção juvenil a situação é ainda pior. Segundo o relatório, 1 milhão de crianças estão presas no mundo.

Uma estimativa das Nações Unidas (ONU) revela que mais de 250 mil crianças são recrutadas para a guerra no mundo e que, pelo menos em 13 países do mundo, o recrutamento e uso de crianças nos conflitos armados é válido.

Presas no inferno dos conflitos armados, as crianças são forçadas a testemunhar as atrocidades cometidas contra seus pais, ou, ainda, são detidas, separadas de suas famílias, pressionadas a servirem como soldados ou até mortas.


Acidentes graves e mortes

Os acidentes, ou lesões não-intencionais, representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. No total, cerca de 6 mil crianças até 14 anos morrem e 140 mil são hospitalizadas anualmente segundo dados do Ministério da Saúde, configurando-se como uma séria questão de saúde pública.

Estimativas mostram que a cada morte, outras quatro crianças ficam com seqüelas permanentes que irá gerar, provavelmente, conseqüências emocionais, sociais e financeiras à essa família e à sociedade. De acordo com o governo brasileiro, cerca de R$ 63 milhões são gastos na rede do SUS – Sistema Único de Saúde.


Doenças e Mortalidade Infantil

A AIDS deixou órfãs 15 milhões de crianças; Mais de 500 mil crianças nasceram com o HIV, o vírus causador da Aids, no ano passado. entre elas,Cerca de 20 mil crianças brasileiras.

"Centenas de milhares de crianças nascem com HIV todos os anos, quando isso é algo que pode ser evitado, e muitos deles morrem no primeiro dia de nascidos".

Todos os anos, 11 milhões de crianças, a maioria com menos de cinco anos morrem devido a doenças como a malária, a diarréia e a pneumonia.. A cada 30 segundos, uma criança africana morre por causa da malária, o que significa mais de 1 milhão de crianças mortas por ano.

A cada hora uma criança morre vítima de alguma espécie de câncer no Brasil, segundo pesquisa divulgada pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer), Dez mil crianças e adolescentes acima de quatro anos morrem de câncer anualmente no Brasil, número que poderia ser bem menor se o governo ampliasse os recursos destinados à compra de medicamentos.É a doença que mais mata crianças e adolescentes no país.

Disque 100, Denuncie!

O serviço do Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes é coordenado e executado pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR), em parceria com a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) e o Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes (Cecria).

Por meio do 100, o usuário pode denunciar violências contra crianças e adolescentes, colher informações acerca do paradeiro de crianças e adolescentes desaparecidos, tráfico de pessoas – independentemente da idade da vítima – e obter informações sobre os Conselhos Tutelares.

O serviço funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de defesa e responsabilização, conforme a competência, num prazo de 24h. A identidade do denunciante é mantida em absoluto sigilo.

“Se deixarmos de fazer o que precisamos para proteger uma criança, que diferença teremos daqueles que as violentam?” (Jefferson Drezett).

Por Marcio Demari
PLANETA VOLUNTÁRIOS
Porque ajudar faz bem !
A maior Rede Social de Voluntários e ONGs do Brasil !!!