Páginas

Você é meu convidado

quarta-feira, 1 de maio de 2013

A escola é feita pela comunidade


Está é minha opinião como conselheiro pai de Alunos de uma escola da prefeitura de São Paulo

Nos primeiros dias de aula da EMEF , apresentou-se a nova diretora para todos os pais no anfiteatro da escola, onde, suas palavras duras e não muito assertivas, me deixou um tanto preocupado com os rumos a serem tomados pela escola nos dias vindouros. Para que pudesse visualizar melhor a pessoa que tem o cargo de Diretoria, pois, aparentemente se tratava da mesma pessoa que em anos anteriores havia se colocado como diretora de EMEI onde meu filho estudara, queria ter certeza de que era a mesma que antes havia me impressionado de forma positiva com suas atitudes modernas e inquisitivas e sim, confirmei como sendo a mesma que já havia conhecido e a saudei lhe dizendo que nos encontraríamos no conselho da escola. Se eu não soubesse que esta diretora já havia conseguido a sua vaga na função através do tapetão, ou seja, através de ordem judicial que ela mesma já havia me comentado na EMEI, acreditaria que a mesma apenas e tão somente quereria colocar situações onde imperasse a sua vontade, mas como já era sabedor desta artimanha legal imposta por ela, já era conhecedor que esta pessoa não iria ficar apenas em palavras ao vento.

Dada a primeira reunião de conselho desta EMEF conforme vocês mesmos podem verificar em postagem anterior, infelizmente vi que não se tratava exatamente da mesma pessoa que havia conhecido na EMEI, apesar de mesmo corpo e alma, esta pessoa havia mudado para uma entidade totalmente autoritária e um tanto impositiva com relação aos seus atos, onde ficara claro a sua posição antagônica junto ao corpo docente da escola, em segunda convocação do conselho, também postada aqui, a situação já parecia ter piorado e tanta as atitudes da Diretora quanto a do corpo docente presente eram ríspidos e com altos graus de farpas destiladas principalmente por aquela pessoa que deveria ser o exemplo de democracia e cordialidade que cabe a função de Direção em uma escola pública.

Me coloquei no lugar dos professores ante a atitude de um general que chegara e me coloquei na posição da diretora ante um grupo democrático, em ambas posições a que mais me identifiquei foi com a dos professores, eu pessoalmente, já teria soltado varias "brasas" com ela, afinal de contas, estamos num estado laico e democrático onde professores detém os seus cargos através de concurso público e mesmo num estado ditatorial a qual vivi meus anos de infância, a educação pessoal e o decoro sempre fizeram parte da ética de todos e mesmo que hajam alguns poucos "professores" que apenas concursaram para ter garantida uma aposentadoria nas tetas do governo, não é o caso da maioria dos professores desta EMEF.

Infelizmente o que esta diretora tem trazido para esta escola não é nada mais nem nada menos que uma prerrogativa de um estado que não mais existe e que nos livramos a pouco tempo, suas ações demonstram que não apenas quer fazer da escola um presidio maior do que já é, como também quer dizer que sem o seu método o caos tomará conta da escola a ponto de proferir as seguintes palavras que até hoje espezinham meus ouvidos:

"Se vocês não aprovarem o que estou pedindo (se dirigindo ao conselho) depois não venham reclamar quando suas filhas chegarem grávidas em suas casas"

Me pergunto, o que levaria uma senhora de idade que pode perfeitamente ser a avó de meus filhos a dizer tamanha barbaridade aos pais que ali estavam presentes? Isto não apenas despertou o leão dentro de mim, como também me instigou a traçar uma linha imaginária que dali não passaria, pois, se a Diretora de uma instituição de ensino se posiciona desta maneira, o que será de meus filhos lá dentro? Ora bolas, exijo que meus filhos respeitem a todos da mesma maneira que são respeitados e não poderia deixar que tamanha vexisse pudesse se dar em um lugar de ensino e decência como sempre foi a EMEF.

Sem perder tempo, expus de forma enérgica a falta de respeito que a mesma estava tendo não somente comigo, mas com todos os pais ali presentes e como representante eleito dos demais não presentes, eu tinha o dever não apenas ético e moral, mas o dever como ser humano livre e decente em uma sociedade ampla e democrática.

Após a exposição, vocês leitores já podem perceber que o clima desta reunião ficou pesado, já não havia mais vontade por parte de todos os presentes de continuar com tal momento e todos encerraram a convocação.

Alguns dias após me surpreendo com a convocação para eleição de novo conselho, e obviamente, a trama começa a se desenrolar, como disse anteriormente  se eu não soubesse das artimanhas a ardilos da pessoa não conseguiria imaginar tal situação e dada a convocação para a formação de um novo conselho, não só de forma ilegal, como também de forma IMORAL, foi uma ação isolada de uma diretora que crê piamente que pode se colocar como um verdadeiro ditador de uma pequena nação, se esquece, porém que, havendo pais e mestres responsáveis e conscientes de tudo ao seu redor, pessoas pequenas e mesquinhas não conseguem chegar as suas funestas ações uma vez que a luz sempre incomodará àqueles que estão na sombra.

Nesta nova convocação, ficou evidente e clara as intenções desta nova diretora, ela deseja e anseia por um conselho calado e não participativo para que todas as suas atitudes sejam aprovadas, demonstrando que o ranço de uma era que já acabou a muito tempo e que ainda tem o desejo de se manifestar nesta sociedade.

Minha manifestação em tal convocação não poderia ser outra senão a demonstração de repudio à mesma e de sua ilegalidade jurídica, moral e social e como um verdadeiro leão, protegerei meus rebentos de uma possível gestapo nazista a ser instalada nesta EMEF aos moldes de uma ditadura falida que fora a dos militares nacionais. Naquele dia ganhou a liberdade, a diretora se viu obrigada a recuar de seu primeiro ato, mas estejam certos de que este não será apenas seu único movimento, outros mais surgirão, contudo, de agora em diante, com a cara limpa e erguida e com a ORDEM E PROGRESSO em meu peito, estarei preparado e não permitirei jamais que nenhum fascista  imoral e ditador faça de sua retorica a dos meus filhos.

Tenhamos em nossos corações sempre: A Mais ampla LIBERDADE, no mais amplo RESPEITO!

Peço a todos os leitores que aqui se manifestem, de forma consciente e justa, esteja a favor ou contra e convido a Diretora a que de fato se manifeste e exponha a verdade de seus atos, nunca antes esta escola (que eu saiba) teve reuniões tão conturbadas.

Nenhum comentário: